Na mesa com Jesus

(Foto: Freepik)

(Foto: Freepik)

Publicado em Quinta-feira, 11 Novembro de 2021 as 2:02

“O mestre comendo com pecadores? Como assim?”, perguntavam entre si.

Aquela era uma cena absurda, que intrigava os escribas e fariseus. O mestre compartilhando da mesa com publicanos e pecadores até́ hoje deixa os religiosos confusos. É paradoxal, pois é a mesma Graça que também abraça a mulher adúltera; transcende a Lei.

O mais conhecido como “amigo de pecadores” nunca precisou gritar sobre o amor, pois as suas atitudes validavam o seu discurso. Esse é o cerne do que ocorre em Mateus 9, quando Jesus come na casa de um coletor de impostos, inclusive, um daqueles que não era bem-visto na sociedade.

Por muito tempo, selecionamos quem deveria ou não se sentar conosco à mesa. Classificamos grupos de pessoas a quem podemos compartilhar o pão, como se fôssemos mais merecedores que outros.

Substituímos o valor dos relacionamentos como se fossem efêmeros, afinal, confundimos pessoas como degraus para ter o desejado “sucesso na vida”. Há um lugar que microfone na mão e sermão eloquente não é capaz de substituir. Esse lugar chama-se mesa. É um tanto assustador para quem vive na linha da justiça e da meritocracia, pois estes pensam

que podem ser privilegiados no banquete.

É na mesa dos iguais, dos pecadores, dos improváveis, que todas as medalhas das vaidades dessa terra são consideradas como esterco, conforme as palavras de Paulo ao escrever para os filipenses. É na mesa que o olho no olho não faz distinção entre o judeu e o gentio. É na mesa

que até rei entende que precisa se tornar filho para desfrutar, pois não tem a ver com a ralé ou com a elite, tem a ver com pessoas, com a simplicidade do Evangelho e com o amor de Cristo.

Essa é a boa nova, a novidade de vida do Evangelho. É na mesa que você descobre que não é sobre o quanto você faz, mas quem você é e quem nasceu para ser.

Na mesa com Jesus, sempre há lugar para mais um, independente de limitação ou condição e, pouco a pouco, precisamos lembrar àqueles que nos cercam, que eles são amados, pois na mesa com Jesus sempre haverá um lugar disponível para o próximo.

O convite permanece imutável: sente-se à mesa. Desfrute da vida como filho, pois ao sentar-se à mesa o banquete estará preparado.

Matheus Grismaldi é escritor, missionário e assessor de comunicação e imprensa em Angola, África. Também integra equipe de plantações de Igrejas, dedica-se ao discipulado, apaixonado pelo Evangelho e faz parte da liderança na Igreja Videira, Vinha Angola. É o filho caçula de três irmãos, nascido em lar cristão, natural de São Paulo, carrega o sonho de ver uma geração vivendo a grande comissão e missões transculturais.

* O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

 

Deixe um comentário