Somos filhos amados

(Foto: Pixabay)

(Foto: Pixabay)

Publicado em Quinta-feira, 25 Novembro de 2021 as 12:43

Todos os discípulos de Jesus podiam desfrutar igualmente, mas nem todos entendiam completamente. O entendimento fez João desfrutar um tanto diferente quanto dos demais.

Os doze discípulos compartilhavam da mesma mesa, mas só alguns deles se interessavam mais pelo ministério de Jesus, e, apenas, João é quem conseguia ouvir as batidas do coração do Mestre.

João não era o melhor, ele apenas desfrutava. João nunca precisou impressionar Jesus com boas obras, mas com um coração ensinável. João sabia quem ele era, no entanto, foi ousado em escrever “o discípulo a quem Jesus amava” sobre si mesmo. Enquanto estamos a tentar impressioná-lo com aquilo que fazemos perderemos o sabor da cereja do bolo.

Todos os dozes comiam do bolo, mas só João tinha a cereja. João não precisava fazer algo para Jesus o tanto quanto Pedro servia. Ele só precisava ser quem ele era. No quesito servir, sem dúvidas, lemos na história o quanto Pedro se destacava.

O ápice do relacionamento com Jesus não é sobre quem pode fazer mais, mas sobre aquele que entendeu que já é amado, independente de qualquer outra razão. Quando você sabe o quanto você é amado as circunstâncias se tornam insignificantes pois você sabe que nada pode alterar o quanto Ele te ama.

O problema de querer fazer algo para se tornar alguém nos leva a má comparação sem fim que nunca trará satisfação plena sobre quem nós somos nEle. A máxima do Evangelho é que eu não sou apenas filho, mas amado também. Que loucura saber que o maior grito da história concluiu

o meu processo que estava em aberto para declarar que sou, não apenas inocente, mas herdeiro, coerdeiro, vencedor, amado, perdoado, justificado, adotado. Ele consumiu e ponto final, é irreversível. No sentido mais profundo, a identidade de fato revela a nossa tendência, pois saber quem nós somos no Amado nunca sai de moda.

Matheus Grismaldi é escritor, missionário e assessor de comunicação e imprensa em Angola, África. Também integra equipe de plantações de Igrejas, dedica-se ao discipulado, apaixonado pelo Evangelho e faz parte da liderança na Igreja Videira, Vinha Angola. É o filho caçula de três irmãos, nascido em lar cristão, natural de São Paulo, carrega o sonho de ver uma geração vivendo a grande comissão e missões transculturais.

* O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Na mesa com Jesus

Deixe um comentário