Não deixe para a próxima geração, aquilo que Deus prometeu para você hoje

(Foto: Shutterstock)

(Foto: Shutterstock)

Publicado em Terça-feira, 11 Junho de 2019 as 10:09

Para conhecermos as promessas de Deus para as nossas vidas, é preciso conhecer e entender Deus, e só o conhecemos quando temos um relacionamento com Ele, através da oração e estudo da Palavra de Deus.

Nos 10 mandamentos, Deus é muito claro quando diz que Ele ele é misericordioso com aqueles que o obedecem e o amam,  por até mil gerações.

Estudando a história do patriarca Abraão, podemos aprender que Abrão sai de Ur dos Caldeus (atual Iraque), com seu pai e sua família em direção a Canaã (atual Israel), porém em Gn 11.31 relata que eles param em Harã (atual Turquia) e ali se estabelecem. Após a morte de Tera, pai de Abrão, Deus chama Abrão e diz, em Gn  12.1-2:

“Ora, disse o Senhor a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção!” (Gênesis 12:1-2 ARA)

A partir daí podemos acompanhar a história de promessas e intimidade do Eterno com Abraão, dentre diversas promessas de bênções. Em duas, Deus é bem específico com Abraão. Podemos resumir que, o Todo-Poderoso lhe promete descendentes como as estrelas do mar e a terra de Canaã.

Passados longos anos, e nada da promessa de Deus se cumprir. Após 25 anos, nasce o filho da promessa, Isaque. Continuando a história de Abraão quando sua esposa Sara falece, Abraão compra um pedaço de terra em Canaã para sepultar Sara. Ao final de sua vida, Abraão recebe de Deus um filho e o campo de Macpela em Canaã. Fato é que Deus promete que em Abraão seriam abençoadas todas as famílias da terra.

Na história de seu filho Isaque, podemos ver Deus fazendo as mesmas promessas que fez a seu pai Abraão (descendentes e terra). Havia fome na terra quando Isaque estava em Gerar e ele decide descer ao Egito, quando Deus aparece a Isaque e repete as mesmas promessas, e pede para que Isaque não saia da terra. Podemos ver Isaque ser perseguido pelos filisteus diversas vezes, cada poço que Isaque cavava, os filisteus entulhavam. Isaque era um homem de paz, e simplesmente saia para outro lugar e assim prosseguia cavando seus poços. Naquela época, estar perto de água era sinônimo de fertilidade, o que não difere  dos dias atuais, porém Isaque não parava de ser perseguido pelos filisteus, até que Abimeleque vem ter com Isaque e reconhece que Deus era com ele e para de persegui-lo. A Bíblia relata que Isaque prosperou muitíssimo.

Já na história de Jacó (filho de Isaque), podemos ver Deus repetindo as mesmas promessas em Gn 28.11-15.

“A tua descendência será como o pó da terra; estender-te-ás para o Ocidente e para o Oriente, para o Norte e para o Sul. Em ti e na tua descendência serão abençoadas todas as famílias da terra.” (Gênesis 28:14 ARA)

E o que conhecemos na história de Jacó é que ele é o pai das 12 tribos de Israel.

O que podemos aprender nesta história analisando os 3 patriarcas?

- Deus demorou 3 gerações para começar a cumprir sua promessa, a promessa veio por partes, primeiro terras através de seu filho (Isaque), depois nações através do seu neto ( Israel);

- Deus tem um plano para cada pessoa, mas temos que entender que quando Deus quer nos abençoar, não é para que a bênção fique retida apenas em nós, o Eterno quer nos abençoar para abençoar nações e gerações através das nossas vidas;

- Toda promessa que Deus cumpre nas nossas vidas irá atingir gerações de filhos, netos, bisnetos… até 1000 gerações serão abençoadas se você aprender a viver no caminho de Deus hoje.

- Não podemos desanimar por achar que está demorando aquilo que Deus prometeu, o plano de Deus é maior do que o nosso e Deus trabalha para o coletivo, o que significa que quando o Eterno decide abençoar uma pessoa, é para que aquela bênção alcance outras vidas também.

Quando começamos a entender como é a dimensão que Deus trabalha, paramos de nos preocupar com nós mesmos e entendemos que tudo que fizermos no hoje irá refletir em nossos descendentes, sejam coisas boas ou ruins.

Existe um mundo espiritual que rege o nosso mundo físico, tudo  primeiro acontece no mundo espiritual e depois no mundo físico, por isto temos que ter mente espiritual, para discernir as promessas de Deus e entender o modo que Ele trabalha em nós e através de nós.

 

Por Adriane Ferretti Salvitti, pastora da Igreja Apostólica Restaurando Nações - IARN Japão, palestrante nas áreas de saúde e espiritualidade fisioterapeuta e Health Coach e

Rodrigo Salvitti, pastor da Igreja Apostólica Restaurando Nações - IARN Japão, palestrante na aérea de espiritualidade e fisioterapeuta.

* O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Deixe um comentário