Gente quer gente

Abraço coletivo. (Foto: Flogão)

Abraço coletivo. (Foto: Flogão)

Publicado em Sexta-feira, 9 Março de 2018 as 12:36

Por ordem de Deus, está dito em certo lugar da Bíblia, que a terra e a água produziram todo tipo de seres vivos: plantas, peixes, gado, aves, répteis e insetos. E viu Deus que tudo aquilo era bom.

Assim, quando Deus disse, "não é bom que o homem esteja só", o homem em questão, o Adão, tinha plantas e bichos ao redor de si. Além disso tudo, o Adão ainda tinha Deus, que dava umas voltas pelo jardim na brisa da tarde.

O que isso tudo quer dizer? Que além de plantas, bichos e Deus, gente quer gente. O Adão ficou feliz da vida quando viu gente na frente dele, tanto que soltou essa aqui: "Até que enfim! Osso do meus osso e carne da minha carne".

Tem gente que troca gente por plantas. Cerca-se de plantas. Vive para e pelas plantas. Tem gente que troca gente por bichos. Enche a casa de gatos. Tem gente que troca gente por Deus. Gosta de igreja, mas sem gente.

De longe, toda essa gente - que trocou gente por plantas, bichos e Deus, parece feliz da vida. Só parece. Não admite, mas no fundo, no fundo sente falta de algo. Sabe do que? De gente. Com gente ao lado, vive-se melhor, como bem disse o filho de Davi (Ec. 4:9-12).

Queria tanto que gente de igreja abrisse os olhos para essa questão, que gente quer gente, e não apenas Deus. Gente quer beijo de gente, abraço de gente, colo de gente, atenção de gente, afeto de gente, apoio de gente.

Sabe qual o assunto dos ensinos de Jesus, Paulo, Pedro, Tiago, João, Judas? Gente. Dizem que gente deve ser acolhida, instruída, ajudada, amada, animada, suportada, perdoada, levantada, congregada, edificada, servida, hospedada.

Gente que só quer saber de Deus, ainda não sabe como convém saber. Deus não se impressiona com o amor de gente que não ama gente. No dia "D", vai entrar no Reino de Deus apenas gente que cuidou de gente.

 

* O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Deixe um comentário