Um demônio, um som e uma espada

Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

Publicado em Quinta-feira, 7 Fevereiro de 2019 as 4:38

Lá fora, no meio do Amazonas, me vi em meio a uma multidão de brasileiros famintos, todos reunidos para o “Dançando no Fogo”. O cheiro de suor aparentemente sugado a cada respiração, vazio de qualquer espaço, comecei a orar pelo que acabou sendo pelo menos 1.400 pessoas naquela noite.

Minhas mãos se moveram para frente para tocar a testa de uma mulher. Todo o tempo, seus gritos ecoavam horripilantemente um som de ódio, um som do mal, um som de repugnância nunca antes ouvido. De repente, o caos tomou conta! Com um pulo de vingança, ambas as mãos voaram em direção à minha garganta, acompanhadas pela ameaça estridente, “Eu vou te matar!”.

Completamente possesso pelo amor de Deus, eu imediatamente e instintivamente olhei para ela e respondi: “Não, você não vai... agora sai dela em Nome de Jesus!” Surpreso com a minha resposta, eu absolutamente não estava com medo! Esta preciosa mulher precisava ser livre. Ela, pessoalmente, não estava tentando me matar, mas uma força de tortura dentro dela me queria morto.

Permanecendo com ela até que sentimos que ela estava livre, passamos para incontáveis outras pessoas manifestando demônios. Uma bela jovem olhou para mim com um olhar vazio e desolado e declarou: “Eu não gosto de perder!”. Colocando minhas mãos em sua testa com os adoradores do altar reunidos ao redor, nós expulsamos o demônio dela! 

Ver todas e cada uma daquelas preciosas pessoas libertadas era de tirar o fôlego!

De tempos em tempos, ao longo de nossa jornada no passado, vivenciamos muitos casos em que coisas como essas acontecem literalmente em nossas reuniões. Em São Luis, começamos a cantar o “Som do Despertar”. O pastor me pediu, quando demos início, para liberar esse som. Com grande intensidade a Glória veio e as pessoas começaram a se entregar, jogando-se no chão e levantando-se livremente, durante a adoração, assim que começamos a liberar o som! 

Dias antes quando começamos a adorar, as pessoas da rua correram para a porta da frente da igreja e começaram a chutar, gritar e amaldiçoar o pastor. Mesmo em casa nos EUA, embora geralmente mais escondidos, sempre experimentamos grandes entregas também.

Somos chamados para liberar um som, um som de despertar. 

Por todo o Antigo Testamento o Som de Deus confrontou as trevas (2 Crônicas 20, Salmo 149, Salmos 89:14-15, Isaías 42:13). Repetidamente Deus usou os adoradores para derrotar o inimigo. Em 1 Samuel 18:10, Davi tocou e um espírito maligno deixou o rei Saul.

No Novo Testamento, a presença de Jesus provocou o inimigo. Isso confrontou a escuridão religiosa e erradicada! Ele era a Palavra de Deus feito carne (João 1), e Ele se tornou o Som do Céu na terra! As pessoas vinham a suas reuniões para ouvir e serem curadas. Em Lucas 8:26-39, Jesus confrontou o homem louco dos gadarenos e lançou uma legião de demônios em um grupo de porcos! Esse som de Jesus traz uma espada. Em Mateus 10:34, Ele mesmo afirma que Ele veio para trazer uma espada. Hebreus 4:12 nos diz que a Palavra de Deus é rápida e poderosa e mais afiada do que qualquer espada de dois gumes!

Somos chamados a ser um som, seu som, o som do despertar! Toda vez que cantamos o conhecimento de Deus e ministramos em nossos instrumentos a partir de um lugar de revelação, a Espada da Palavra de Deus libera e produz grandes manifestações de cura, libertação e salvação! Graças a Deus que isso acontece! Estamos liberando o Governo do Céu na Terra, e é disso que se trata!

Em Seu fogo,

Jason Lee Jones

*O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Deixe um comentário