O que significa ser um verdadeiro “amigo”?

(Foto: Crosswalk)

(Foto: Crosswalk)

Publicado em Segunda-feira, 17 Fevereiro de 2020 as 4:16

Companheiro sou de todos os que te temem e dos que guardam os teus preceitos” Sl 119.63.

Quanto a Tito, é meu companheiro e cooperador para convosco; quanto a nossos irmãos, são embaixadores das congregações e glória do Ungido” II Co 8.23.

E peço-te também a ti, meu verdadeiro companheiro, que ajudes essas mulheres que trabalharam comigo nas boas novas, e com Clemente, e com os outros cooperadores, cujos nomes estão no livro da vida” Fp 4.3.

Nestes três versos encontramos a palavra hebraica “chaver” (חָבֵר) que significa “companheiro, associado, irmão”. O que é mais interessante é que a noção de “companheirismo” vem de um relacionamento verdadeiro e que pode realmente “contar” com aquela pessoa nas melhores e piores situações da vida. Este é o verdadeiro significado de “amizade”.

Por isso há uma diferença entre “amigo” e “colega”. Vejamos:

“Uma amizade verdadeira é marcada, invariavelmente, por trocas de confidências e segredos que permanecerão eternamente reservadas e protegidas. Contamos a amigos muitas coisas que jamais revelaríamos a familiares, parceiros e nem para colegas mais próximos.

Na relação de coleguismo, por exemplo, os segredos raramente são compartilhados. Por mais que você considere determinado colega uma pessoa honesta e de bom caráter, simplesmente não sente que exista “clima” ou confiança total necessária para a troca de informações mais confidenciais.

O conceito de lealdade também marca a diferença entre amizade e coleguismo. Um amigo será sempre leal e nunca irá trair o outro basicamente porque, antes de tomar qualquer atitude, vai pensar no bem-estar e na felicidade do amigo e não somente considerar sua própria posição em determinado momento ou situação.

Por outro lado, um colega pode não ser tão cuidadoso e, em alguns casos, pode até decepcionar ao optar por decisões que tragam benefícios apenas para eles e não sejam tão positivas para o outro. Nem sempre por maldade, mas por pura falta de ligação mais íntima, próxima e relevante com o colega em questão.

Finalmente, um amigo de verdade é aquele que sempre terá as portas abertas para você, a qualquer momento, quando precisar, independentemente de qualquer coisa. Não importa como, um amigo fará o que for possível para ver você feliz”.

Ligado a uma amizade verdadeira:

Todo mundo tem sua própria noção de que tipo de pessoa pode render um grande amigo. Mas não há dúvida de que todas as verdadeiras amizades possuem uma única qualidade especial: a conexão. Quando dois amigos verdadeiros se encontram, eles instantaneamente se sentem conectados, como se seus espíritos estivessem unidos. Esta é precisamente a ideia por trás da palavra hebraica para amigo: chaver (חָבֵר). Como todas as palavras em hebraico, este termo deriva de uma simples raiz de três letras.

Estas conexões ocorrem a nível de alma – sentimentos – e tem seu valor provado pelo tempo e pelas circunstâncias... A verdadeira amizade resiste ao tempo e também suporta todos os reveses das situações que ambos vivem. A grande prova da verdadeira amizade está relacionada com os maus momentos que alguém vive. É neste momento que os verdadeiros amigos aparecem para ajudar o próximo em meio a uma onde de problemas que para a pessoa que os vive são muitas vezes insolúveis e pesados a ponto de levar esta pessoa a crises terríveis.

No momento em que surgem as provações, as grandes perdas e também as crises emocionais é que os amigos fazem a diferença.

Uma riqueza de conexões

A palavra para amigo, chaver (חָבֵר) deriva da raiz de três letras HBR, significando “ligar, unir, conectar”. O conceito básico de reunião de pessoas é a fonte de dezenas de outras palavras: aquela para "amizade" é chaverut (חֲבֵרוּת), a para “empresa” é chevrá (חֶבְרָה) e, para “sociável”, chevrutí (חֶבְרוּתִי). Até mesmo o verbo para “compor” é chiber (חִבֵּר), porque o autor reúne letras para formar palavras, e palavras para formar frases.

Quando entendemos as raízes desta palavra podemos então concluir que os amigos são aqueles que se unem, se conectam, mas não da forma como conhecemos hoje, virtualmente, mas as conexões são reais e intensas, ainda que não frequentes. É como uma “empresa” em que cada sócio trabalha para o sucesso da mesma e quando se encontram analisam aquilo que foi feito, os sucessos – e insucessos - e buscam sempre o melhor caminho para continuarem em sua empreitada.

O conceito de “sociável” passa pela questão de relacionamentos duradouros que tem um início, mas que tem uma continuidade apesar dos percalços diários. Ser “sociável” significa aceitar não somente as regras do outro como também respeitar seus momentos e decisões. É quase como se fosse um “casamento” em que ambos estão unidos por laços de diversos tipos: físicos, emocionais, religiosos, mas também partilham de um mesmo espaço que é respeitado por ambos e o convívio é agradável a ponto de gerar um ambiente carregado de amor.

É neste ponto que entra o conceito de “composição”, ou seja, a reunião de palavras e conceitos que levam o relacionamento a um nível completamente diferente, onde a cumplicidade entre as partes é evidente e a união é tão intensa que um olhar já diz tudo...

Amigos que tratam seus relacionamentos com zelo fazem com que a outra parte possa saber que é possível contar com o outro mesmo que à distância...

Conclusão:

Amigos são aqueles que se unem a nível de alma – sentimentos – e que buscam andar de tal forma que a vida de um completa o outro e vice-versa. Ser amigo é estar presente nos momentos em que o outro tenha necessidades que não podem ser atendidas de outra forma.

O amigo(a) é o presente dos céus que traz o refrigério para a alma cansada daquele que lutou, lutou e até aquele momento não venceu... Mas, neste momento o amigo aparece e estende a mão que dá segurança, traz uma palavra que cura e incentiva o outro a não desistir de seus sonhos, pois a realização está prestes a acontecer.

Amigo, a conexão que nunca falha e que constrói um palácio para a vida eterna.

Ieshua é o nosso maior amigo e é justamente Aquele que nunca nos deixa e aparece em nossas vidas nos momentos que mais precisamos dele. Ele é a grande conexão entre os céus e a terra!

Baruch ha Shem!

Por Rav. Mário Moreno, fundador e líder do Ministério Profético Shema Israel e da Congregação Judaico Messiânica Shema Israel na cidade de Votorantim. Escritor, autor de diversas obras, tradutor da Brit Hadasha – Novo Testamento e conferencista atuando na área de Restauração da Noiva.

*O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: O que o conceito de “virgem ou virgindade” tem a ver com as Escrituras?

Deixe um comentário