Massacre em Altamira, não temos nada a comemorar

Familiares esperam por notícias na porta do Centro de Recuperação Regional de Altamira, no Pará. (Foto: Época/Vitor Danilo)

Familiares esperam por notícias na porta do Centro de Recuperação Regional de Altamira, no Pará. (Foto: Época/Vitor Danilo)

Publicado em Quarta-feira, 31 Julho de 2019 as 11:21

Estou assustada vendo os comentários sobre a morte, assassinato, degolamento de 60 presos em Altamira, no Pará, decorrente de uma rebelião acontecida no presídio na última segunda-feira (29).

Ainda que sejam bandidos, são seres humanos, e é inaceitável que outros "seres humanos" achem bom matar tantos humanos de forma tão brutal, seria a mesma coisa que ser a favor da "higienização" tudo tem limites.

Sabemos que estamos vivendo tempos difíceis, que não somos coniventes com a bandidagem, mas querer justiça é deixar que a LEI faça esta justiça. Agora, concordar, aplaudir, e alegrar-se com esse massacre é cruel. Eu desejo, como cidadã, que bandidos sejam julgados e condenados e paguem pelos seus crimes na prisão conforme a lei, sendo culpado e tendo o direito de defesa.

Meu sonho é que, mesmo condenado, todos tenham a chance de recuperação, de resiliência, de aprender com seus erros como qualquer cidadão. Não posso, como pessoa humana, “achar que foi pouco” e que “bandido bom é bandido morto”, ou me igualarei à maldade de monstros.

Não! Bandido tem que ser preso e o sistema penitenciário tem que recuperar esses condenados.

Não estou defendendo bandidos, mas em meio a esses mortos, têm presos que se converteram, que se arrependeram e mereciam uma segunda chance. Todos nós temos, mas parece que essa dicotomia burra em que vivemos cegou nosso coração e nosso entendimento.

Apesar de entender que muitos mereciam prisão perpétua e, nos devidos casos, castração química, não sou a favor da pena de morte. Só quem tira a vida é Deus, ou, como exclusão, em casos de LEGÍTIMA DEFESA. Fico pensando nas famílias, nos pais, filhos, esposas – mas principalmente nos pais –, muitas vezes, inocentes que já passam pela dor de ter um filho preso, por terem cometido um crime, sofrem por ter seu filho preso em um inferno desses e ainda recebem a cabeça do seu filho por conta desse massacre. NÃO, como ser humano, não posso me alegrar.

Que Deus nos ajude, conforte as famílias, que os líderes sejam presos em solitárias, mas, por mais que um ser humano, em algum momento, deseje a morte de algum "marginal", peço perdão a Deus, pois é uma falha humana, que merece ser perdoada e não propagada.

Você pode pensar, mas deve pedir perdão, pois é indigno desejar a morte do próximo e lembre-se, este bandido, também é nosso irmão em Cristo. Lembre-se, ainda, que Jesus disse: “...amai os vossos inimigos...” (Mt 5.44)

O ódio e o medo são sentimentos criados pelo diabo, eu prefiro ficar com a compaixão, pois este sentimento tenho a certeza, foi criado por Deus. Que é difícil é, mas sou ser humano é não um animal irracional, que me perdoem os animais.

Por Marisa Lobo - Psicóloga, especialista em Direitos Humanos e autora de livros, como "Por que as pessoas Mentem?", "A Ideologia de Gênero na Educação" e "Famílias em Perigo".

* O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

 

Deixe um comentário