Adversidades

(Foto: Getty)

(Foto: Getty)

Publicado em Quarta-feira, 9 Outubro de 2019 as 3:14

No artigo anterior falamos de sonhos. Coisa boa, não? Mas o que acontece quando em nossa jornada financeira acontecem adversidades — eventos inesperados pelos quais não queremos passar?

José experimentou o gosto amargo das adversidades. Ele era um filho muito querido pelo pai, mas seus irmãos tinham ciúmes dele. Então o próprio con­vívio familiar já poderia ser considerado uma adversidade na vida de José. Mas ele continuava firme, fazendo a coisa certa, obedecendo a seu pai e ajudando seus irmãos. Contudo, apesar de sua fidelidade, José foi traiçoeiramente vendido pelos irmãos. Ele passou a ser escravo em uma terra distante.

Como você lidaria com esse tipo de adversidade? A Bíblia diz que José foi trabalhar como escravo para um alto oficial do faraó, chamado Potifar. Mas aqui está um ponto importante a ser destacado. Veja o que diz o texto bíblico: O Senhor Deus estava com José. Ele morava na casa do seu dono e ia muito bem em tudo (Gênesis 39.2). Note que Deus não abandonou José pelo fato de ele estar passando por aquela adversidade.

Outra coisa: José foi um escravo fiel ao seu senhor Potifar. Ele sempre foi um administrador por excelência de tudo o que Potifar possuía. Por isso que a Bíblia destaca: Dali em diante, por causa de José, o Senhor abençoou o lar do egípcio e também tudo o que ele tinha em casa e no campo (Gêne­sis 39.5).

Mais à frente, José sofreu mais uma adversidade. A mulher de Potifar o acusou injustamente e ele foi parar na prisão. Agora, além de escravo, José era prisioneiro. Como você reagiria no lugar de José? No entanto, o incrível de tudo isso é que Deus continuava com José. Diz assim a história: O Senhor estava com ele e o abençoou, de modo que ele conquis­tou a simpatia do carcereiro. Este pôs José como encarregado de todos os outros presos, e era ele quem mandava em tudo o que se fazia na cadeia (Gênesis 39.21,22).

Mais uma vez José confiou em Deus e seguiu adiante. Em outra ocasião, José interpretou o sonho do copeiro do faraó e pediu a este que intercedesse por ele juntou ao faraó. Mas o copeiro se esque­ceu de José e ele teve de permanecer mais dois longos anos na prisão. Mais um duro golpe. Mais uma vez ele permane­ceu firme, sabendo que seu dia chegaria.

E chegou. Seria uma noite como outra qualquer, mas naquela noite o faraó teve um sonho que mudaria radicalmente o curso da história de José. Ninguém tinha capacidade para interpretar o sonho do faraó. E o copeiro, que havia se esquecido de José, agora levou a boa notícia: existia alguém capaz de interpretar esse sonho — José, o hebreu que estava esquecido na masmorra. Agora Deus estava começando a transformar suas adversidades em novo tempo — um tempo de mudanças.

Conclusão: É preciso entender que as adversidades fazem parte da vida. Decida então que elas não tirarão você do caminho que Deus traçou para você, sua família e seu ministério aqui na terra. Assim como José, continue fazendo tudo com excelência, sendo fiel, e aguardando Deus fazer aquilo que você mesmo não pode fazer. Entenda que as adversidades cumprem o papel de levar você a um amadurecimento em sua caminhada com Cristo.

Por Paulo de Tarso, pastor, engenheiro e mestre em Teologia.  Fundador do Ministério Finanças para a Vida, que ensina pessoas de todas as idades a administrar o dinheiro de acordo com a Bíblia. É autor dos livros “Sucesso Financeiro” e da série “Finanças em Ação”.

* O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Deixe um comentário