"Liberdade": Não temos nem o básico e miramos lá adiante

Pessoa filma homem nu, deitado em tablado do Museu de Arte Moderna. (Foto: Divulgação)

Pessoa filma homem nu, deitado em tablado do Museu de Arte Moderna. (Foto: Divulgação)

Publicado em Terça-feira, 10 Outubro de 2017 as 12:08

Liberdade sem medo e sem culpa. Entendo, que não devemos concentrar nossa máxima atenção na pornografia e esquecer os meninos de rua. Não me considero um alvo desta crítica. Sempre estive profundamente envolvido com estas pessoas jogadas na sargeta, nos presídios, nos barracos feitos de eternit, nos curtiços e embrulhadas no esquecimento.

Estas criaturas não estão tentando envolver outras crianças em seus crimes. Não fazem exposição no MAM, não têm acesso a mídia, não entram no sistema educacional brasileiro, não ensinam ninguém a adotar a ideologia dos cracolândios, não fazem cartilhas e não contam com o apoio de uma esquerda rica e distante da verdadeira miséria. Miséria passada pelos moradores dos viadutos, que dormem em cima de caixotes. Com estes a sociedade tem uma dívida impagável, principalmente a esquerda festiva que os abandonou para investir seus recursos em ensinar às nossas crianças, aquilo que a sociedade, como um todo não quer para seus filhos.

Creio que o Brasil tem algo mais importante para fazer do que construir banheiros unissex, estimular a homo afetividade, expor publicamente desenhos sem beleza artística, mas com profundo impacto visual, contendo cenas grotescas, etc, etc, etc.

A minha indignação não é contra cenas como essa do MAM, mas contra a desconstrução agressiva de valores e o investimento público em algo tão improdutivo. Enquanto isso heteros, gays, prostitutas, pedófilos, mulas e cadeirantes padecem nas filas dos hospitais.

A concentração em problemas prioritários, ajudaria pessoas de todas as tendência ideológicas. Não temos nem o básico e estamos mirando lá adiante, no nada, tentando eliminar preconceitos bobos criados por uma sociedade regida pelos valores errados. Falo da defesa inglória de valores pertinentes a classes específicas, onde todo mundo é incentivado a olhar para o seu umbigo e não para os problemas mais graves da nação.

Gays e meninos de rua são problemas absolutamente diferentes, que geram reações parecida como abandono, medo, repulsa e exclusão. Para cada um deles uma abordagem diferente se faz necessária.

Temos muito o que fazer antes de exibir crianças tocando em homens pelados no MAM. Isto só serve para polarizar a sociedade.

Creio que as pessoas favoráveis aos banheiros unissex e desejam distribuir revistinhas de sacanagem mas escolas, deveriam gastar seu próprio dinheiro e não o meu para realizar seus projetos. Gostaria de ver o imposto, que pago, gasto com saúde, educação, creches, asilos e não com pornografia infantil.

 

 

*O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Deixe um comentário