Disney Channel apresenta seu primeiro romance gay em série infantil

Cena de Andi Mack na qual o personagem Cyrus Goodman se declara para o colega TJ Kippen. (Imagem:  YouTube / Disney Channel US / Reprodução)

Cena de Andi Mack na qual o personagem Cyrus Goodman se declara para o colega TJ Kippen. (Imagem: YouTube / Disney Channel US / Reprodução)

Publicado em Sexta-feira, 2 Agosto de 2019 as 8:02

A série “Andi Mack, do Disney Channel, levantou polêmica ao retratar o primeiro casal gay da rede. A série faz muito sucesso entre crianças e adolescentes de 6 a 14 anos.

O final da terceira temporada da série, que foi ao ar em 26 de julho, terminou com a cena entre Cyrus Goodman (interpretado por Joshua Rush) confessando sua atração por seu colega de classe TJ Kippen (Luke Mullen).

"Há mais alguma coisa que você queira me contar?", Cyrus pergunta a TJ, ao que ele responde: "Sim". Cyrus então estende a mão e segura a mão de TJ.

A declaração homossexual foi feita no episódio junto com outra cena em que o casal cantou junto uma música de Lady Gaga, “Born This Way”, considerada atualmente um 'hino LGBT'.

Em 2017, a Disney anunciou que a segunda temporada do programa começaria a mostrar o caminho de "auto-descoberta" de Cyrus Goodman. A série não foi renovada para uma quarta temporada.

Enquanto esta foi a primeira representação da Disney de um relacionamento adolescente entre pessoas do mesmo sexo, o primeiro casal adulto de mesmo sexo em um programa da Disney para crianças ocorreu em 2014, na série "Good Luck Charlie".

"Andi Mack" recebeu elogios de 'progressistas' por representar um casal adolescente gay.

"Essa cena vai ser tão importante para tantas crianças que estão crescendo e assistindo isso agora. Eles vão olhar para trás e pensar: 'esse programa me avisa que eu ficaria bem", afirmou um tweet viral da @tyrusmcu, que foi retweetado mais de 30 mil vezes.

O ator Luke Mullen também publicou no Twitter um comentário sobre a cena controversa e seu tempo no programa.

“Honrado por fazer parte de um programa tão inovador. Espero que meu personagem possa inspirar as pessoas a se orgulharem de quem elas são e a amar quem elas amam”, escreveu Mullen para seus quase 20 mil seguidores.

Contexto

A Disney vem adotando e promovendo vagarosamente as visões LGBT, como visto em seus programas de televisão e filmes como "A Bela e a Fera" e "Doutora Brinquedos" em 2018. Em 2017, o desenho "Star vs. the Forces" of Evil apresentou a primeira 'princesa masculina' no mesmo programa que anteriormente causou polêmica por apresentar os primeiros beijos entre pessoas do mesmo sexo.

A gigante do entretenimento infantil também terá um papel abertamente gay em seu próximo filme de ação ao vivo, "Jungle Cruise".

A Disney está seguindo os passos de muitas outras empresas familiares. Em maio, o desenho animado "Arthur" na PBS - emissora que recebe financiamento do governo - mostrou um casamento entre dois personagens do mesmo sexo.

No ano passado, o popular desfile de ação de graças da Macy's, que também é conhecido por suas 'celebrações saudáveis', ganhou as manchetes por sua primeira exibição pública controversa de relações entre pessoas do mesmo sexo.

Grupos conservadores, como a American Family Association, alertaram que o apoio da Disney a uma agenda ativista LGBT é imoral e promove comportamentos pecaminosos.

Deixe um comentário