Cristãos temem anos difíceis após reeleição de primeiro-ministro na Índia

Primeiro-ministro indiano Narendra Modi. (Foto: Reprodução/Money Control)

Primeiro-ministro indiano Narendra Modi. (Foto: Reprodução/Money Control)

Publicado em Quinta-feira, 23 Maio de 2019 as 3:46

O Partido Bharatiya Janata (BPJ), conhecido também como Partido do Povo Indiano, comemora vitória do premiê Narendra Modi, após votação de seis semanas, que levou 67% dos 900 milhões de eleitores indianos às urnas.

Usando uma mistura de retórica nacionalista e promessas de desenvolvimento econômico, Narendra Modi garantiu outros cinco anos de governo político para o BJP. O partido nacionalista hindu deve ainda garantir maioria parlamentar pela segunda eleição consecutiva.

A reeleição de Narendra preocupa organizações internacionais de defesa da liberdade religiosa, já que tem aumentado a perseguição na Índia às minorias religiosas, especialmente aos cristãos, com ataques e violências promovidas, em grande parte, pelos radicais hindus.

“Desde que chegou ao poder em 2014, o BJP e Narendra supervisionaram um aumento dramático na intolerância e na violência por motivos religiosos”, afirma o International Christian Concern (ICC), o que preocupa as minorias.

“A questão número um nesta eleição para os cristãos é a segurança”, disse o Dr. Paul R.T. Maran, Bispo Nacional da Diocese Apostólica Nacional da Índia, disse à ICC no início deste mês. “Esta eleição é como uma situação 'faça ou morra'. Se o BJP chegar ao poder, os cristãos não serão tratados como cidadãos iguais porque seu objetivo é estabelecer a Índia hindu.”

Segundo a Comunhão Evangélica da Índia (EFI), ataques violentos contra a comunidade cristã da Índia mais do que duplicaram ao longo do curso do BJP.

Em 2014, o ano em que o BJP chegou ao poder, a EFI documentou 147 ataques violentos contra a comunidade cristã da Índia.

Em 2018, após quatro anos de governo do BJP, a EFI documentou 325 ataques violentos.

Muitos culpam o aumento da intolerância religiosa na promoção do nacionalismo hindu pelo BJP. Os líderes do BJP usam regularmente retórica religiosamente divisiva para ganhos políticos. Como resultado, essa retórica frequentemente incita a violência antiminoritária principalmente perpetrada por grupos nacionalistas hindus radicais que operam em toda a Índia. Em muitos casos, os perpetradores da violência antim minoritária não são levados à justiça. Isso então perpetua um ciclo crescente de incitação e impunidade.

“A situação das minorias na Índia não melhorará porque o dano já foi feito em nível de base”, disse Vijayesh Lal, secretário-geral da EFI, à ICC. “A Índia foi polarizada com sucesso ao longo de linhas religiosas e étnicas.”

“A [volta] de [Narandra] Modi provavelmente resultará em maior impunidade para aqueles que atacam e difamam as minorias religiosas”, concluiu Lal.

Repercussões

Reagindo à vitória do BJP, A.C. Michael, ex-membro da Comissão de Minorias de Déli, disse: “Isso não significa que nós, cristãos, paremos de praticar nossa fé como garantido pela constituição. Eu sinto, no entanto, que talvez tenhamos que adotar abordagens diferentes para conquistar a confiança das minorias que estão vivendo com medo da agenda de Hindutva”.

Muitos cristãos em toda a Índia estão preocupados que um governo dominado pelo BJP tentará mudar a constituição e estabelecer a Índia como uma nação hindu. Atualmente, a constituição estabelece a Índia como uma nação secular e garante a liberdade religiosa de seus cidadãos sob o Artigo 25.

"Se o novo governo quiser mudar a constituição, deve ser para fortalecer suas garantias seculares”, disse o Dr. John Dayal, porta-voz nacional do United Christian Forum, à ICC. “Nosso futuro depende da proteção da diversidade étnica e cultural dessa vasta terra.”

O gerente regional da ICC, William Stark, disse: “Felicitamos o primeiro-ministro Modi e o BJP por outra vitória eleitoral. No entanto, também chamamos aqueles que formarão o novo governo para usar seu tempo no cargo para elevar e proteger todos os cidadãos da Índia, incluindo as minorias religiosas. O aumento da intolerância e da violência por motivos religiosos tem sido ignorado por muito tempo. Pedimos ao primeiro-ministro Modi que tome conhecimento público deste problema crescente e que tome medidas concretas para proteger os direitos à liberdade religiosa das comunidades minoritárias, conforme garantido pela constituição da Índia”.

 

Deixe um comentário