Vídeo mostra batismo secreto de novos cristãos em Bangladesh; assista

Os rostos das pessoas batizadas foram ocultados para preservar a segurança desses cristãos que sofrem com a perseguição religiosa em Bangladesh. (Imagem: Portas Abertas / Youtube / Reprodução)

Os rostos das pessoas batizadas foram ocultados para preservar a segurança desses cristãos que sofrem com a perseguição religiosa em Bangladesh. (Imagem: Portas Abertas / Youtube / Reprodução)

Publicado em Sexta-feira, 16 Outubro de 2020 as 11:42

Um vídeo publicado na última quinta-feira (15) por parceiros da Missão Portas Abertas em Bangladesh mostra imagens de um tocante momento de adoração a Deus, enquanto homens e mulheres declaram seu compromisso de seguir a Jesus e celebram sua liberdade em Cristo, durante um batismo em um local remoto.

Cada pessoa que aparece sendo batizada no vídeo se converteu ao cristianismo, deixando outras relições.

Para esses novos convertidos, esse passo corajoso provavelmente significará que em breve enfrentarão discriminação, insultos, pressão para renunciar à sua fé e até ataques físicos por causa de sua decisão de seguir a Jesus em um país onde a opressão islâmica é uma ameaça crescente.

Em Bangladesh, os cristãos são uma minoria, frequentemente visada por grupos extremistas muçulmanos e suas comunidades locais por trocarem o islamismo pelo cristianismo.

A Missão Internacional Portas Abertas está trabalhando com igrejas para fornecer treinamento para os crentes conseguirem lidar com a perseguição religiosa, bem como Bíblias e materiais de discipulado, construindo e fortalecendo a igreja naquele país.

A organização cristã de apoio à Igreja Perseguida e todo o mundo pediu orações pelos cristãos de Bangladesh.

“Ore por esses novos membros que persistem contra todos os obstáculos, até mesmo suas famílias muçulmanas. Ore por sua preparação e força nas próximas semanas, meses e anos enquanto a perseguição os aguarda. E ore para que cresçam em sua fé e se tornem cada vez mais apaixonados por compartilhar a graça que encontraram”, pediu a organização em uma publicação recente, junto ao vídeo.

Deixe um comentário