Homem esfaqueia mulher e grita 'Alá é grande' durante atentado, em Sydney

Homem gritou 'Alá é grande' depois de atingir uma mulher com a faca e foi contido por civis na rua, antes de ser preso. (Foto: 10 Daily News)

Homem gritou 'Alá é grande' depois de atingir uma mulher com a faca e foi contido por civis na rua, antes de ser preso. (Foto: 10 Daily News)

Publicado em Terça-feira, 13 Agosto de 2019 as 8:05

Um homem com uma faca e gritando “Allahu akbar” ("Alá é grande"), tentou contra a vida de várias pessoas no centro de Sydney (Austrália) nesta terça-feira antes de ser contido por civis na rua. Ele esfaqueou uma mulher de 41 anos nas costas, que foi levada ao hospital.
  
A polícia do estado de Nova Gales do Sul disse em um comunicado que estava investigando se a violência estava ligada à morte de uma mulher cujo corpo foi encontrado mais tarde em um apartamento na mesma rua do bar onde a mulher ferida foi esfaqueada.
  
Testemunhas disseram que o homem estava carregando uma faca de cozinha de 30 centímetros, enquanto tentava esfaquear várias pessoas perto de um cruzamento movimentado na maior cidade da Austrália, por volta das 14h (horário local).

"Allahu akbar' ('Alá é grande'). Atirem em mim! Atirem na minha cabeça!", gritava o homem enquanto pulava e descia do capô de um carro.
  
A polícia disse que o agressor foi preso e que a mulher ferida por ele foi levada a um hospital em condições estáveis.
  
O corpo da segunda mulher foi encontrado no quarto andar de um apartamento próximo ao local do ataque, por volta das 15h15.

Um vídeo mostra pessoas contendo o homem na calçada. A polícia local agradeceu à população pela ajuda.

"Vários civis que estavam na rua se uniram para conter o agressor", disse o superintendente da polícia, Gavin Wood. "Eu quero agradecer a essas pessoas que se envolveram e ajudaram. Foram pessoas significativamente corajosas".

Wood disse que parecia que o ataque não foi provocado e o homem agiu sozinho. Ele disse que depois que a mulher foi esfaqueada, o homem "tentou esfaquear várias outras pessoas. Essas tentativas, felizmente, não tiveram sucesso".
  
O motorista de aplicativo cujo carro foi escalado pelo agressor, disse que no momento levava um casal de idosos em seu carro.
    
Uma testemunha, Paul O'Shaughnessy, disse que ele e seu irmão Luke estavam trabalhando no escritório de sua empresa de recrutamento quando ouviram gritos por uma janela aberta. Eles olharam para fora e viram um homem caucasiano, com cerca de 25 anos, gritando palavras "extremistas", disse O'Shaughnessy.
  
Os irmãos, temendo que o homem estivesse conduzindo um ataque terrorista, correram para a rua e começaram a perseguir o homem, que estava coberto de sangue.
  
Luke O'Shaughnessy e outro homem alcançaram o ofensor e o derrubaram no chão, disse Paul O'Shaughnessy. Junto com outros transeuntes, eles usaram uma caixa de plástico e uma cadeira para mantê-lo preso ao chão, ele disse.
  
Paul O'Shaughnessy disse à Associated Press que o homem "não demonstrou qualquer remorso".
  
O primeiro-ministro Scott Morrison disse no Twitter que a violência é "profundamente preocupante" e elogiou os civis que contiveram o agressor.

Deixe um comentário