Pai entra com medida na Justiça para tentar impedir que o filho seja abortado na Argentina

Franco pediu que a mulher tivesse a criança e entregasse a ele. (Foto: Reprodução/ Radio FM 96.5 Power Station/Facebook).

Franco pediu que a mulher tivesse a criança e entregasse a ele. (Foto: Reprodução/ Radio FM 96.5 Power Station/Facebook).

Publicado em Sexta-feira, 30 Abril de 2021 as 2:45

Um pai tentou impedir na Justiça que seu filho fosse abortado pela ex-esposa, através de uma medida cautelar, na Argentina. O caso tem mobilizado grupos pró-vida no país por demonstrar que a lei argentina do aborto, aprovada em dezembro de 2020, não considera os pais.

Em entrevista á rádio argentina Tiempo de San Juan, o homem identificado como Franco, contou que a ex-esposa soube da gravidez aos 12 meses da gestação e lhe disse que pretendia abortar o bebê. Posteriormente, Franco pediu que a mulher tivesse a criança e entregasse a ele.

Como ele não teve resposta da mãe, o homem pediu uma medida cautelar à Justiça para garantir o direito à vida do filho. “Tudo se centra nos direitos das mulheres, mas meu filho também tem direitos e ninguém pode decidir sobre ele. Já apresentei tudo o que tenho à Justiça. Agora espero que, por favor, entendam que só quero dar ao meu filho a possibilidade de viver”, protestou.

Na última segunda-feira (26), a Justiça argentina negou o pedido de Franco. Segundo a juíza Rosa Amanda Días, o pedido foi considerado “infundado” por questionar de forma imprecisa a constitucionalidade e/ou aplicação do caso em relação à lei do aborto.

Entidades de defesa à vida na Argentina têm demonstrado apoio a Franco. O caso do pai ganhou repercussão nas redes sociais com a hashtag #TodosconFranco.

Deixe um comentário