Visitantes terão que passar entre casal nu para entrar em exposição de Londres

A performance está sendo organizada para acontecer na Real Academia de Artes, em Londres, em 2020. (Foto: Dpa Picture Alliance/Alamy Stock Photo)

A performance está sendo organizada para acontecer na Real Academia de Artes, em Londres, em 2020. (Foto: Dpa Picture Alliance/Alamy Stock Photo)

Publicado em Segunda-feira, 9 Setembro de 2019 as 8:34

Uma exposição "artística" da Inglaterra está começando a chamar a atenção, devido ao tipo de interação que ela possibilita entre artistas e visitantes. Para entrar no evento, cada pessoa terá que praticamente se espremer entre um casal nu. As informações foram confirmadas pelo jornal inglês "The Guardian". 

A exposição será realizada na Real Academia de Artes, em Londres (Inglaterra) e trata-se da recriação de um controverso projeto de 1977. Na época, a artista sérvia Marina Abramovic e seu namorado Ulay, ficaram de frente um para o outro, ambos nus, posicionados à entrada de um evento de "arte moderna" para que os visitantes de uma exposição se espremessem entre eles, configurando uma "porta viva". 

Naqueles dias, o projeto fez muita gente dar meia volta e desistindo de entrar no evento. Mas a curadora da exposição atual em Londres, Andrea Tarsia, afirmou acreditar que "quase ninguém se recusará a passar pelo estreito corredor humano".

"Eles não conseguiram lidar com isso e não tinham certeza do que estavam vendo. Alguns passaram. Alguns passaram várias vezes, na verdade", comentou a curadora, lembrando sobre a exposição de 1977.

A Real Academia de Artes ainda está selecionando o casal que fará a nova versão da "performance" de Marina e Ulay, para a exposição que tem previsão de realização em 2020.

Contextualização

Ao que tudo indica a fissura de parte da "classe artística" com relação aos seus próprios corpos está cada vez mais evidente. No caso da exposição promovida Real Academia de Artes, em Londres, os realizadores usarão dos corpos de dois artistas para impor condições consideradas constrangedoras a todos os que desejarem entrar no evento e apreciar outras peças e performances.

Há cerca de dois anos, uma performance realizada no Museu de Arte Moderna (MAM), em São Paulo, gerou polêmica e até mesmo inquéritos em comissões do Senado, após um homem nu se deitar no chão e uma mãe estimular que sua filha - de apenas quatro anos - tocasse o artista.

Após ser divulgado que o evento estava sendo apoiado pela organização 'Santander Cultural', o banco perdeu dezenas de milhares de correntistas, que como forma de protesto encerraram suas contas.

No caso da nova exposição em Londres, ainda não se falou sobre classificação indicativa para os visitantes do evento, mas já se sabe que quem não aceitar passar pelo "corredor" formado pelo casal nu não conseguirá apreciar o restante das obras.

Deixe um comentário